sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Metas para 2017 e queda temporária na renda passiva



Olá pessoas,


Após o balanço das metas de 2016 feito no post passado é hora de estabelecer as metas para o ano que chega. O objetivo é conseguir um ponto de equilíbrio onde a meta estabelecida não seja tão fácil de cumprir e nem tão difícil que se torne inviável e acabe me desestimulando de trilhar o caminho rumo a independência financeira.


Uma meta não pode ser muito difícil...


Mas antes de estabelecê-las gostaria de informar que grande parte da minha renda passiva (+-80%) ficará comprometida em 2017, pelo menos nos primeiros meses (assim espero!). Explico o motivo: o contrato de aluguel do meu apartamento vence em 21/01/2017 e o inquilino já informou à imobiliária que não ficará mais no imóvel, devendo desocupá-lo até a data citada. Já informei a eles que pretendo alugar o apê novamente, mas já me preparo para uma eventual vacância de até 6 meses e possível diminuição do valor que cobrarei de aluguel, que atualmente é aproximadamente R$860 e talvez tenha que abaixar para uns R$750. Enquanto não alugo vou arcar com uma despesa extra de R$160 de condomínio, além do IPTU que já sai em janeiro.  Espero que tudo dê certo e a imobiliária encontre um bom inquilino para o imóvel rapidamente.


Voltando ao papo de metas, vamos à enumeração:

1) Provisionar R$23.400,00 para reduzir o saldo devedor do financiamento imobiliário:

Como disse no post anterior, vou preferir acumular o valor do saldo devedor desta dívida em um investimento CDB liquidez diária exclusivo para esses valores. Vou provisionar R$900 e a Sra. Canguinha mais R$900, somando R$1.800,00 por mês e R$21.600,00 ao final de 2017, mais os R$1.800,00 que já juntamos agora em dezembro. Faço esta conta sem considerar o valor dos rendimentos e apostando na constância de nossos aportes durante o ano inteiro, mesmo com eventuais despesas extraordinárias.

Resolvi não contabilizar estes valores no meu patrimônio pois, além de não ser somente com meu dinheiro, ele já tem uma destinação certa e será utilizado quando for oportuno.

2) Continuar o aporte de aproximadamente R$200,00 por mês em ações (R$2400,00):

O objetivo desses aportes é que eu acumule aos poucos patrimônio em renda variável através de ações de boas empresas, com exposição não muito grande e que eu continue isento da taxa de custódia de R$12,50 por mês que a corretora Rico cobra.

A limitação desta aplicação automática é que não consigo comprar ações de todas as empresas que pretendo, pois esta modalidade só permite que se compre ações listadas no IBOVESPA, então existe a chance de eventualmente eu comprar ações além desse valor previsto por mês.

3) Aportar R$1.500,00 por mês em renda fixa (R$18.000,00 durante o ano):

Listo esta meta apenas para possuir um parâmetro e um número a ser buscado, pois minha  atual metodologia de alocação prevê aproximadamente 60% em renda fixa, 35% em FIIs e 5% em ações, e sempre que essa proporção for afetada eu irei direcionar meus aportes para corrigi-la, o que pode fazer com que eu não aplique religiosamente os R$1.500,00 por mês.

4) Aumentar o meu patrimônio em aproximadamente 84% até o final de 2017:

Recentemente fiz uma planilha com projeção patrimonial mês a mês até o ano de 2028, com "metas" mensais de aporte corrigidos por uma inflação de 6%a.a., e pelos meus cálculos conseguiria esses 84% de aumento patrimonial. Essa é uma meta um pouco mais ousada mas não vou fugir ao desafio!

5) Atingir uma renda passiva proveniente de FIIs de aproximadamente R$300,00 por mês:

Semelhante ao que disse a Dilmandioca, eu cumpri a meta e agora vou "dobrar" a meta. Em 2016 eu estabeleci uma meta de R$100,00 por mês de rendimento de FII e consegui cumprir antes do fim do ano, então resolvi apertar um pouco dobrando a meta, ao invés de mais R$100,00 por mês eu quero R$200,00 adicionais. Apesar de acreditar que o valor das cotas de FII irão subir, de maneira geral, em 2017, o valor absoluto dos rendimentos não acompanharão, sendo preciso alguns aportes extras, mas o desafio está lançado.

Alguém aí tem saudade dela?
6) Praticar atividades físicas regulares 3x por semana, pelo menos:

Uma meta difícil de ser cumprida, conforme expliquei no post anterior, devido ao meu regime de trabalho em plantões diurnos e noturnos, mas não posso deixar de colocá-la porque envolve saúde, e para quê ter independência financeira se não tiver saúde para usufruir? Vou me empenhar mais em cumprir essa meta, nem que seja parcialmente. Força na peruca!

7) Parar de ingerir sucos industrializados de todas as formas e diminuir sensivelmente os refrigerantes, tomando somente aqueles com zero carboidratos:

Durante 2016 experimentei uma modalidade de alimentação chamada "low carb", que explica a influência negativa do excesso de carboidratos na regulação hormonal do corpo humano, em especial com a insulina, e o resultado dessa diminuição de carboidratos foi sensacional, perdi 4 quilos em 2 semanas de dieta, sem praticar atividade física e sem me privar de alimentar. Achei a fundamentação teórica muito boa e convincente, li esse livro aqui ó:

Apesar de trazer muitos dados históricos, recomendo a leitura.


O fato é que o açúcar e a farinha branca são as principais fontes de carboidratos de digestão rápida, que causam rapidamente um descontrole de insulina na corrente sanguínea e por isso devem ser evitados. Por isso não tomarei mais sucos industrializados (parte fácil da meta) nem refrigerantes que possuam açúcar ou outros carboidratos (parte difícil da meta).


Vou ficando por aqui com as minhas 7 metas para 2017 porque o post já está grande demais, até a próxima!

 

2 comentários:

  1. Sobre alimentação e saúde aconselho acompanhar esse blog: http://www.lowcarb-paleo.com.br/
    alimentação paleo / low carb

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruno, obrigado pela indicação, vou conferir esse blog sim

      Excluir